POR QUE É TÃO DIFÍCIL TOMAR CORAGEM PARA ASSUMIR UM NOVO PROJETO DE VIDA?

POR QUE É TÃO DIFÍCIL TOMAR CORAGEM PARA ASSUMIR UM NOVO PROJETO DE VIDA?

Durante muito tempo eu atuei no mundo corporativo na área de gestão de carreira e lideranças. Eu gostava do que fazia, mas queria mais. Queria criar um negócio que pudesse estar mais alinhado com meus valores, meu propósito de vida e que efetivamente ajudasse as pessoas a expressarem também sua autenticidade, sua verdade no mundo. Mas eu tinha medo. Medo de trocar o "certo pelo duvidoso". Medo de errar. E de até de acertar e ter que lidar com o sucesso. Estranho né? Mas por muito tempo eu pensei, analisei, estudei, desejei, planejei e... não mudei, apenas enrolei.

 

Foi só quando eu mergulhei de verdade em processos profundos de autoinvestigação, descobertas do que acontecia no meu mundo interno que tanto me atrapalhava a tomar coragem para agir é que acessei o que vou falar agora para você...

 

Aquilo que realmente acontece dentro do nosso mundo interno que tanto nos impede de tomar coragem para criar uma nova versão de nós mesmos e de nossa carreira.

 

O que partilharei aqui pode ajudar você caso esteja passando um momento de querer mudar sua carreira, mudar seu estilo de vida, resolver uma pendência amorosa ou qualquer outro impasse que cause dúvidas, inseguranças, incertezas e exija de você uma dose a mais de coragem e confiança para agir.

 

Vamos lá?

 

O tal do pensamento “Tudo ou Nada”

Dentre vários pensamentos, com certeza este é o que mais habita as mentes de quem se sente inseguro para agir.

 

Mas afinal, o que são esses pensamentos?

 

São formas de pensar distorcidas da realidade que construímos de maneira automática para interpretar as coisas que acontecem em nossa volta. Distorcemos a realidade para conseguir reforçar as crenças de inferioridade mais profundas que possuímos... na prática, é como se tentássemos encaixar os fatos reais nos moldes que achamos serem as verdades sobre nós, ainda que essas tais “verdades” nos coloquem para baixo.

 

Vejamos alguns exemplos:

 

"Fulano não me ligou, logo ele não gosta de mim".

 

“Não tive lucro esse mês, logo essa carreira empreendedora não vai funcionar”.

 

"Recebi uma crítica, logo meu trabalho é péssimo. Não sirvo para nada".

 

"Eles não vão gostar dessa minha mudança, logo não gostarão mais de mim".

 

Observe como são raciocínios extremistas do tipo “8 ou 80”, como se não houvessem outros desfechos possíveis:  se ele me liga ele gosta, se não me liga nada feito, ele definitivamente não gosta; teve lucro continuo com essa carreira, um mês sem lucro, nada feito, não vai dar certo; recebo uma critica, logo tenho que aprender a ficar com a “boca fechada” porque não sirvo para nada; eles não aprovarão minha mudança e por isso automaticamente não gostarão mais de mim. 

 

Percebe como há uma distorção dos fatos? Uma coisa é receber uma crítica (fato) a outra é achar que precisa ficar definitivamente com a “boca fechada” por causa disso ou acreditar que não serve para mais nada. Isso já é fruto de uma distorção condizente com uma crença de inferioridade muito forte arraigada aí...

 

Nesses raciocínios não se considera nenhuma outra perspectiva da realidade, como: “algo pode ter acontecido, a bateria acabou, ele teve um imprevisto”; “existem outras estratégias para ter resultados no empreendedorismo, posso buscar mentoria, coaching, diálogos com outros empreendedores”; “eu tenho valor em meu trabalho mesmo recebendo algumas criticas”; “as pessoas podem aprender a se relacionar com minha nova versão”, dentre várias outras alternativas...

 

 

Pelo contrário, quem pensa “Tudo ou Nada” simplesmente se apega automaticamente, de forma quase que inconsciente a essa lógica extremista e enrijecida por ser condizente a crenças ligadas ao medo de desagradar, da crítica, da imperfeição, do desamor, desamparo e baixa autoestima que a pessoa nutre em seu universo interior e não consegue enxergar a realidade sobre vários pontos de vista. É como se encontrasse a “tampa perfeita para a panela”, ou seja, para continuar acreditando em seus medos e inseguranças, ela pensa “tudo ou nada”.

 

Agora você pode estar se perguntando de onde vem esse tipo de pensamento?

 

Pois bem,  na infância é comum ter raciocínios como: “mamãe não está comigo, então não me ama”, “não ganhei doce, logo sou feia”. Por quê? Porque nessa fase ainda estamos ensaiando nosso jeito de interpretar a realidade, é difícil enxergar os fatos de uma forma muito madura, ou seja, em seus diversos ângulos, por isso acabamos resumindo tudo em poucas categorias e numa dualidade 8 ou 80. Ou é ou não é.

 

Agora quando adultos se constantemente insistimos em pensar de forma tão inflexível é importante olhar com cuidado e buscar identificar as causas desse raciocino. Geralmente as pessoas que pensam “ou tudo ou nada” na fase adulta, utilizam esse modo mais “radical” de se enxergar as coisas como uma estratégia para boicotar mudanças. É na verdade, uma auto sabotagem que fazem sem sequer perceber.  É como se encontrassem uma desculpa para não dar sequência a uma nova atitude, um novo hábito que acreditam dar um pouco de trabalho.

 

Observe a lógica: 

 

“Se não tive resultados em meu negócio, é melhor deixar para lá porque isso não vai funcionar mesmo ”. Note aí a desculpa para desistir de encarar os desafios na nova carreira, tudo isso debitado na conta de um mês de poucos resultados...

 

Por muito tempo eu utilizei esse tipo de pensamento: ou eu garantia o sucesso total da minha transição de carreira, ou nada feito, era melhor permanecer onde estava, ainda que aquela realidade não estivesse alinhada com meus valores de equilíbrio pessoal e profissional. Pensar assim é uma das estratégias mais eficazes para dificultar o seu encorajamento para mudar, justamente por ser um tipo de pensamento que não oferece opções, alternativas e caminhos mais flexíveis para a mudança "ir se fazendo" aos poucos e encontrar espaço para se assentar em nossa vida. Ora, nenhuma transição de carreira, ou mudança de vida é executada perfeitamente, sem necessidades de ajustes ou alterações. Se assim for, não é mudança. É inércia.

 

Observe se não está se perdendo em maneiras tão enrijecidas como essa que te impeçam de ir além e alcançar seu próximo nível de vida e carreira.  E caso esteja com alguns pensamentinhos "tudo ou nada" aí, tranquilize-se, sei bem como é. Apenas os coloque aqui abaixo no campo de comentários  para que eu possa produzir conteúdos mais direcionados para suas demandas!

 

Agora se lembrou de alguma pessoa querida que pode se beneficiar com essa leitura, não deixe de compartilhar, quem sabe essas palavras já facilitem o desbloqueio de muitas transformações de vida e carreira para essa pessoa!

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Linkedin
Compartilhar no Google
Curta este Post!
Please reload

Saiba o passo a passo para sair da inércia e gerar as mudanças que você quer para sua vida e carreira, com coragem, autoconfiança e segurança em suas escolhas!

RECENTES
Please reload

SIGA 

  • Facebook - Círculo Branco
  • Branca Ícone Instagram

 © 2018 - Karina de Paula - All Right Reserved.

CONTATOS:

+55 (34) 9 9952-0605

contato@karinadepaula.com.br

Rua Eduardo Marquez, 816 - Bairro Martins 

Uberlândia/ MG - Brasil

Siga