7 SINAIS DE QUE SUA INSEGURANÇA ESTÁ TE IMPEDINDO DE FAZER O QUE É IMP

7 SINAIS DE QUE SUA INSEGURANÇA ESTÁ TE IMPEDINDO DE FAZER O QUE É IMPORTANTE PARA VOCÊ

 

 

 

Você já sentiu isso?

 

 

Frio na barriga como se estivesse prestes a pular de para quedas, uma vontade grande de mudar, mas de repente vem aquele medo?

 

Por um lado você sabe que as coisas na sua vida precisam mudar. Carreira, relacionamento e acima de tudo: seu jeito de encarar a vida, as opiniões alheias, de colocar o que é importante pra você em primeiro lugar...

 

Por alguns instantes, você tem a impressão de que agora será diferente, como se sentisse que as coisas podem fluir melhor... você sente mais segurança, mais coragem, mais confiança... está prestes a sair dessa paralisia e colocar a mão na massa para fazer as coisas acontecerem pra você. E  enfim, assumir as rédeas de sua vida.

 

Mas por outro lado. Você sente medo.

 

Medo do que as pessoas vão falar, medo de não ser bom o suficiente, medo de errar, medo de acertar. Medo de arriscar, de pagar pra ver, de fazer diferente. 

 

Enfim, medo de mudar. Mudar de casa, cidade, emprego, carreira, relacionamento, mudar de estilo de vida, de cabelo. Medo. 

 

Dois lados de uma mesma moeda.

 

E se o lado B (esse aí do medo) estiver certo? E se realmente você não estiver pronto para mudar? E se de fato você sentir aqueles olhares de reprovação e preocupação de sua família e amigos se você decidir expressar suas escolhas e fazer mudanças importantes na altura do campeonato. Pior, e se essas novas escolhas te levarem para o caminho do fracasso? O que fazer?

 

E é aí que você escolhe não fazer nada. Jogar a moeda pra cima e não olhar para o lado que ela vai cair. Simples assim. Se esconde naquele emprego que “não está lá essas coisas”, naquele relacionamento tóxico em que você apenas “engole sapos” enquanto  guarda na gaveta seus sonhos. Pior, finge estar correndo atrás deles, mas é que “ainda não teve tempo” de fato de colocá-los em ação (sabe como é?).

 

E... bingo! É nessa hora que sua voz interna te conta a verdade em alto e bom som: você quer SIM mudar algo importante na sua vida, NÃO ADIANTA FINGIR. O FATO É QUE está enrolando porque sente insegurança. Medo de pagar pra ver.

 

Meu intuito com este texto é te mostrar os 7 sinais mais comuns de que sua insegurança está te impedindo de fazer algo importante na sua vida, para que ao final dos próximos 5 minutos, você possa ter clareza de onde está mais se boicotando e se impedindo de mudar, sabendo disso o próximo passo ficará muito mais simples. Vem comigo!

 

 

1– Procrastinação


Deixar para amanha aquilo que se pode fazer hoje! Levanta a mão aí quem nunca fez isso?  


Uma vez ou outra tudo bem, mas a questão é a frequência... se a enrolação está fazendo parte do seu dia a dia, está aí  um bom sinal de que há algo que você mudar, mas não está encarando isso de frente e sim: procrastinando!
 

O jeito mais simples de perceber se a procrastinação entrou na sua casa em pedir licença, sentou no sofá toda espaçosa e já até abriu a geladeira, é prestar atenção na frequência de gerúndio que tem usado no seu vocabulário:
 

“Você não ia mudar de emprego?”  - É que estou planejando, estruturando, pensando, organizando... (e dali reticencias infinitas!).
 

Enquanto está “planejando, estruturando, preparando”, na verdade está mesmo é “enrolando...” para não encarar o fato de não concluir de vez um novo projeto de vida, de carreira, ou de relacionamento.  
 

Pense bem quantas vezes você tem usado termos assim...e se estiver muito frequente leia este texto aqui em que falo sobre por que fazemos isso! 

 

 

2.    Pedir muita opinião


Mais uma vez, uma opinião aqui outra ali vá lá, mas se vira e mexe você pergunta para os outros o que eles acham que você deve fazer é outro bom sinal de que sua insegurança está extrapolando os limites e te impedindo de fazer as coisas acontecerem para você. 

 

Pedir opinião é uma excelente estratégia para terceirizar os resultados (possíveis sucessos ou fracassos) para os outros, assim você não assume suas próprias escolhas e permanece em cima do muro. Cuidado! 

 

3.    Se perder em informações

 

Imagine a cena: você quer criar um plano B para sua carreira. Sair daquele emprego que já não te representa mais. Ou mesmo resolver aquela pendência amorosa que vem se arrastando há séculos...  e o primeiro passo que te vem em mente para ter sucesso nesse plano é?
 

Pesquisar! Se munir de informações e informações... Afinal,  como elaborar um bom plano de carreira? Como ter uma conversa difícil? Por onde começar uma transição de carreira? O que fazer para assumir um novo relacionamento? Ou finalizar aquela relação que já não existe mais? 
 

E quanto mais você se informa, mais acha que tem que se preparar mais e mais... e mais...
 

Sente o drama: ora você está diante do computador  buscando dados no google, ora está ouvindo a opinião de alguém que já passou por isso, e mais alguém que também quer passar por isso, e outro que pensa no assunto e outro...uma busca que gera outra e outra... e quando vê você já se tornou o REI DA PESQUISA enquanto continua na paralisia e a insegurança imperando suas decisões.

 

4.     Tapar o sol com a peneira

 

Quando já está clara pra você a necessidade de mudar, e já até sente que está enrolando,  é hora deste sinal aparecer! 

 

Tapar o sol com a peneira vem como uma forma de aliviar a consciência, na psicologia chamamos isso de mecanismo de defesa. Funciona assim: sua mente já percebeu que não está conseguindo fazer a mudança e para se proteger de entrar em contato com essa sua incapacidade, você começa a cultivar o lado bom da moeda. Reforçar para você mesmo que esse emprego não é tão ruim assim, o relacionamento está até melhorando, você até faz sim aquilo que é importante pra você, nem tem ouvido tanto a opinião alheia!

 

Frases como: “não dá reclamar, tem gente que está pior” , “atualmente o mercado está muito competitivo é melhor deixar como está para ver como fica”, “ quem sou eu para dizer que não está bom”, “tem muitas coisas boas acontecendo, preciso ter mais gratidão e reconhecer”.

 

Não é que sua vida não esteja realmente boa, ou que não há motivos para ser grato. O fato é que muitas vezes a situação poderia ser realmente diferente, se houvesse um pouco de mais de coragem e confiança para alcançar novos objetivos ou se tornar uma pessoa melhor.  Nessa hora é muito importante saber discernir se essas justificativas realmente fazem sentido, ou se são apenas uma forma de abafar uma necessidade que já está batendo na sua porta.
 

5.    Se comparar com os outros

 

Quando dar o primeiro passo é um grande desafio é comum você escolher pessoas para se comparar. Aí valem amigos, familiares, colegas de trabalho, figuras públicas, artistas... 
 

Certo, você deve estar pensando: “ quem nunca?” Não é verdade? Afinal isso é lá exclusividade de quem se sente inseguro para agir?  

 

Fato. A comparação de vidas, carreiras, relacionamentos é algo realmente muito comum entre nós, como bons e velhos humanos.  Mas o que muitos não sabem é que essa prática se torna um sinal de insegurança quando mesmo sem perceber, você com frequência escolhe estrategicamente as pessoas a quem se comparar.  

 

Estrategicamente porque você escolhe a dedo certas pessoas a quem se comparar. Geralmente elas estão em dois grupos:

 

a)    Elas já percorreram todo o caminho que você quer percorrer. Já mudaram de vida, de país, de relacionamento, de emprego, de carreira. Já estão super bem sucedidas no novo status de vida. E ao olhar para elas, você tem aquela sensação de que tudo isso que elas conquistaram está muitooo mas muitooo distante de você. A léguas de distância. Tão longe que é praticamente impossível você chegar lá também. Percebeu aí o sinalzinho de insegurança aparecendo? 

 

b)    Ou pessoas que até estão na metade do caminho, perseguindo aquilo que você também almeja, massss... na sua visão elas possuem condições muito melhores do que você para fazer a mudança acontecer. É aí que surgem aquelas frases na sua cabeça:

 

“Mas também se eu tivesse essa segurança financeira que ele tem...” “ah se eu tivesse esse currículo, toda essa experiência, vivencia em outros países...” “ah se fosse mais nova ou tivesse esse corpão, aí é fácil né”.  “ Ah se eu fosse casado”, “Ah se fosse solteiro”. “Ah se tivesse filho”. “Ah se eu não tivesse filho ainda...”.
 

Ou seja, de todo jeito você escolhe pessoas com perfis e realidades que aparentemente (vou repetir: aparentemente)  estão muito distantes de você para se comparar de forma a sempre se sentir inferior, incapaz e impotente diante delas. Do ponto de vista psicológico o que acontece aqui é uma distorção da realidade para se inferiorizar diante do desafio e assim, encontrar uma justificativa para procrastinar um pouco mais sua entrada em ação. 
 

Trocando em miúdos: ao comparar bananas com maçãs você encontra uma bela razão para permanecer onde está.
 
6.     Vergonha de compartilhar seus planos

 

Brené Brown autora que estuda temas como vergonha e vulnerabilidade diz que a vergonha é um sentimento universal, só quem não sente é quem não tem empatia ou não sabe se relacionar. Ao mesmo tempo, as pessoas têm medo de falar sobre vergonha e é justamente por não assumir e conversar sobre esse sentimento que ele controla ainda mais as decisões das pessoas. 

 

Segundo essa autora, sentir vergonha é ter medo de  não dar conta de colocar algo em prática, de ser visto como menor ou pior por não ter alcançado algum objetivo, de encarar a imperfeição e tudo isso de alguma maneira fazer os outros gostarem menos de você e romper vínculos afetivos. 

 

Sentir vergonha é sentir-se inseguro. Inseguro do que pode acontecer, de não cumprir o prometido, de não fazer acontecer, de planejar e não cumprir, de simplesmente não conseguir.

 

É bem por isso que quando você escolhe não compartilhar com as pessoas aquele seu projeto, seus sonhos, suas ideias e sua vontade de fazer coisas novas, você nada mais esta sentido do que vergonha e insegurança de não dar conta de executar seus novos projetos.  


7.    Ter muitas iniciativas e poucas "acabativas" 

 

Agora, outra faceta da insegurança muito comum, apesar de engenhosa é quando você até consegue sim implementar as mudanças, mesmo com vergonha de compartilhar seus novos rumos ou mesmo pedindo muita opinião alheia e se comparando com os outros... Aos trancos e barrancos você vai colocando a mão na massa...

 

É como se já estivesse realmente cansado da sua realidade e quisesse mesmo sem ter todas as certezas do mundo colocar a cara a tapa e fazer acontecer. Nessa hora vem aquele sentimento gostoso de “agora vai!”. 

Mas de repente lá está você iniciando tudo ao mesmo tempo... nova especialização, novo projeto plano B, se inscreve naquela vaga de emprego que viu na internet ou se candidata para o intercambio que também parece uma boa pedida! 

 

Ou... se questão é o relacionamento em casa ou amoroso que não vai muito bem, voce lança mao daquela nova estratégia de como se relacionar melhor que discutiu com as amigas enquanto avalia os novos contatinhos que estão surgindo. 

 

Isso mesmo. Tudo junto e misturado. E dali tempo pra tudo. 

 

Mais uma armadilha da sua mente para não finalizar nenhum projeto e ter que assumir definitivamente uma nova postura diante do problema. 

 

O famoso em cima do muro. Com muitas iniciativas, dando aquela aparência de ação e movimento e nada de concretizações e finalizações. 

 

Atire a primeira pedra quem nunca, não é mesmo?

 

Muito bem, espero que saber esses 7 sinais de que sua insegurança pode estar indo além da conta tem sido uteis para que você de o primeiro passo: identificar aquele que está mais te bloqueando para dar os passos seguintes clicando aqui para entrar em ação. 

 

E se você quer se aprofundar mais sobre os itens desse lista, veja mais conteúdos gratuitos aqui. 

 

Extra: Se lembra de pessoas queridas que podem se beneficiar ao receber esses sinais? 

 

Então compartilhe esse artigo e me ajude a espalhar pro mundo mais conhecimento para se encorajar para a mudança. Juntos somos mais potentes! 

 

Você pode compartilhá-lo no Facebook, Twitter, Google+ ou até mesmo copiar a URL desse artigo e enviar para quem você achar que pode se beneficiar com essa leitura.

 

E, para finalizar, eu vou adorar saber a sua opinião sobre esse artigo.

 

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que você mais gostou nesse artigo, ou sobre alguma dica extra que você deseja compartilhar comigo ou até mesmo alguma crítica sobre esse texto.

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Linkedin
Compartilhar no Google
Curta este Post!
Please reload

Saiba o passo a passo para sair da inércia e gerar as mudanças que você quer para sua vida e carreira, com coragem, autoconfiança e segurança em suas escolhas!

RECENTES
Please reload

SIGA 

  • Facebook - Círculo Branco
  • Branca Ícone Instagram

 © 2018 - Karina de Paula - All Right Reserved.

CONTATOS:

+55 (34) 9 9952-0605

contato@karinadepaula.com.br

Rua Eduardo Marquez, 816 - Bairro Martins 

Uberlândia/ MG - Brasil

Siga